Supertempestade solar pode afetar 130 milhões nos EUA



Uma gigantesca liberação de partículas geomagnéticas vindas do Sol poderia destruir mais de 300 dos 2.100 transformadores de alta voltagem que são a espinha dorsal da rede elétrica dos Estados Unidos, segundo a Academia Nacional de Ciências dos EUA. O Sol está entrando em um período de atividade intensa, conhecido como “máximo solar”, que deve atingir seu auge em 2013. Por isso, há um ímpeto por parte de um grupo de agências federais para buscar maneiras de preparar os EUA para uma grande tempestade solar nesse ano. Especialistas dos EUA estimam em até 7% o risco de uma grande tempestade em 2013. Pode parecer pouco, mas os efeitos seriam tão amplos - semelhantes à colisão com um grande meteorito - que o fato tem atraído a atenção das autoridades. Apagões isolados podem causar caos, como ocorreu em julho, na Índia, quando mais de 600 milhões de pessoas ficaram sem energia durante várias horas em dois dias consecutivos. Já um blecaute de longa duração, como o que poderia acontecer no caso de uma enorme tempestade solar, teria efeitos mais profundos e custosos [numa economia já abalada].

Há discordâncias sobre o custo, mas especialistas do governo dos EUA e da iniciativa privada admitem que se trata de um problema complexo, que exige uma solução coordenada. Um relatório da Academia Nacional de Ciências estimou que cerca de 365 transformadores de alta voltagem no território continental dos EUA poderiam sofrer falhas ou danos permanentes, que exigiriam a substituição do equipamento.

A troca poderia levar mais de um ano, e o custo dos danos no primeiro ano após a tempestade poderia chegar a US$ 2 trilhões, disse o relatório. As áreas mais vulneráveis ficam no terço leste dos EUA, do Meio-Oeste à costa atlântica, e no Noroeste do país.

A rede elétrica nacional foi construída ao longo de décadas para transportar a eletricidade ao preço mais baixo entre os locais de geração e consumo. Uma grande tempestade solar tem a capacidade de derrubar a rede, segundo o relatório dos cientistas.

De acordo com estimativas do relatório, mais de 130 milhões de pessoas nos EUA poderiam ser afetadas. Andres disse que no pior cenário a cifra de mortos poderia chegar a milhões.

Outros países também sentiriam o impacto se uma supertempestade solar atingisse seu sistema de energia, mas o dos EUA é tão amplo e interconectado que qualquer grande impacto teria resultados catastróficos no país.


Nota: No livro Ministry to the Cities (em preparo para publicação em língua portuguesa pela Casa Publicadora Brasileira), Ellen White faz veementes apelos para que o evangelho seja rapidamente pregado nas grandes cidades, pois breve chegará o tempo em que isso será muito difícil de ser feito e o caos aumentará grandemente nesses centros populacionais. Ellen estimula os que podem (já) a estabelecer residência no interior (cf. Vida no Campo, da mesma autora), ao mesmo tempo em que se faz necessário que haja pontos de pregação nas cidades. Uma das citações publicadas em Ministry to the Cities é esta: “Dentro em breve haverá tal luta e confusão nas cidades, que os que as quiserem abandonar não o poderão fazer. Devemos estar nos preparando para esses acontecimentos” (RH, 14 de abril de 1903; ME2, p. 142). Quando ocorre um acidente numa das marginais da cidade de São Paulo, por exemplo, o caos se instala em boa parte da megalópole. Agora imagine um terremoto ou mesmo um blecaute geral causado por uma tempestade solar... O que seria daquela cidade – e de tantas outras que “operam” no limite de sua capacidade? Imagine os caixas eletrônicos, os semáforos, os postos de gasolina, o sistema de abastecimento de água, tudo isso e muito mais completamente inoperante... Deus nos ajude a confiar inteiramente nEle e a aproveitar a relativa e provavelmente pouco duradoura estabilidade para concluir a obra que precisa ser levada avante sem mais adiamento.[MB]



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livros de Ellen White em PDF - Download

Colossenses 2:13-14 - Explicação