A profecia mais longa da Bíblia


ENCONTRO COM AS PROFECIAS 088
No programa anterior estudamos sobre o surgimento de um poder político que iria causar muitos problemas aos cristãos. Também vimos que após a queda desse poder surgiria um outro no cenário mundial, que realizaria uma estranha obra no campo espiritual.
E a profecia foi cumprida. O Império Romano se desintegrou com o passar dos séculos. Conforme a profecia anunciou, surgiu um pequeno chifre, que aos poucos foi crescendo e causando muitos problemas. Eis alguns: proferia palavras contra o Altíssimo (7:25); destruiria os santos do Altíssimo (7:25); cuidaria em mudar os tempos e a lei (7:25); lançaria a verdade por terra (8:12); tiraria o sacrifício contínuo (8:11); prosperaria no que estivesse fazendo (8:12).
Esse poder religioso que surgiu das cinzas do império romano trouxe muita dor e tristeza ao povo fiel de Deus. Usou o nome do Deus do céu para perseguir, prender e matar cristãos sinceros em todos os lugares. Era a chamada “santa inquisição”. A igreja dominante tentou impedir o estudo da Bíblia, pois o livro Sagrado condena as tradições e o paganismo que se infiltraram no mundo cristão.
No último programa prometi que hoje falaríamos sobre o fim desse poder dominante. A profecia está em Daniel 8:13 e 14: “Depois disto vi um santo que falava, e disse outro santo a aquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício continuo, e da transgressão assoladora para que seja entregue o santuário e o exército a fim de serem pisados? Ele me disse: até duas mil e trezentas tardes e manhãs, e o santuário será purificado”.
O grande desespero de Daniel era saber se um dia a verdade que estava sendo destruída, voltaria a ser ensinada para o povo. Ele manifesta a sua angustia ao dizer: até quando isto vai durar? Algum dia as verdades da Bíblia serão apresentadas ao povo novamente? Até quando o povo de Deus vai ser perseguido por este poder?  A resposta foi clara. Até duas mil e trezentas tardes e manhãs, e o santuário será purificado (Danel8:14).
O primeiro passo é entendermos o que o profeta quer dizer ao mencionar 2300 tardes e manhãs ou 2300 dias. Há um princípio que deve ser entendido de imediato. Em profecia, a Bíblia diz que um dia equivale a um ano – Números 14:33-34 e Ezequiel 4:6.
Há um outro detalhe que precisa ser colocado antes de prosseguirmos.  Esta profecia era para o tempo do fim. Não era para os dias de Daniel (8:17,19); a visão era verdadeira (8:26); a visão era para ser cerrada, fechada, porque seria entendida muito tempo depois (8:26).
Daniel, ao ouvir tudo isto, ficou espantado sem conseguir compreender o que estava vendo e no final desmaia e adoece (8:27). O capitulo nove de Daniel é uma oração pedindo explicação sobre a profecia que está registrada no capitulo oito. E Deus enviou, então, o anjo Gabriel para explicar.
Gabriel foi um verdadeiro professor. Com muita paciência começou a dizer que a profecia das duas mil e trezentas tardes e manhãs estava dividida em vários blocos. O primeiro bloco seria de setenta semanas. “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, sobre a tua santa cidade” (9:24). A palavra hebraica, que foi traduzida por “determinada”, significa cortar, dividir. O anjo Gabriel, estava dizendo para Daniel que do grande período, ele deveria cortar, separar setenta semanas.
Usando a tabela oferecida pela própria Bíblia, que cada dia corresponde a um ano, nós temos um período de 490 dias ou quatrocentos e noventa anos.
Esses 490 anos começaram, conforme Daniel 9:25, na ordem para restaurar e edificar Jerusalém. Os judeus foram levados cativos para Babilônia sob o comando de Nabucodonosor.  Depois vieram os medos e persas. Havia uma profecia feita por Jeremias (25:12), que o cativeiro duraria setenta anos. Os judeus no cativeiro esperavam por esse dia. E há documentos arqueológicos que mencionam estrangeiros indo ao rei Ciro e pedindo para que fosse permitido voltarem a sua terra. Provavelmente entre estes cativos estavam os Judeus.
Houve de fato três decretos para que o povo voltasse e reconstruísse a cidade. O primeiro decreto foi de Ciro, no ano 538 AC (II Crônicas 36:22). O segundo foi promulgado por Dario, no ano 519 AC (Esdras 6:1). E o terceiro decreto foi promulgado por Artaxerxes no ano 457 AC (Esdras 6:26).
Amigo ouvinte, aqui esta a chave. O decreto, que de fato entusiasmou a grande maioria das pessoas e deu condições para que a cidade e o templo fossem reconstruídos, foi o último, o de Artaxerxes no ano 457 AC. Para marcar o inicio das setenta semanas, é aceito o ultimo decreto, porque este é o que teve maior efeito entre os cativos.
Amigo ouvinte, Deus jamais deixará um filho sem entender plenamente a vontade dEle. Se você não consegue entender algo da Bíblia, faça como Daniel. Ore! Lembre-se que todo o capitulo nove do livro de Daniel é a oração dele em busca de conhecimento sobre as revelações de Deus.
No próximo programa continuaremos a profecia das 2.300 tardes e manhãs ou 2.300 anos. Até lá e, lembre-se: creia no Senhor Deus e você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.
Gostou deste post?Faça o download do áudio AQUI .Quer saber mais sobre profecias?Então cliqueAQUI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livros de Ellen White em PDF - Download

Colossenses 2:13-14 - Explicação