Esboço da Escola Sabatina - Lição 3 - A palavra: A base do reavivamento




O pastor Everaldo Carlos (@everaldocarlos1) é bacharel em Teologia e pós-graduado em Missiologia com ênfase em missão urbana pelo SALT-IAENE. Atualmente é pastor do distrito de Planta São Marcos, na Associação Sul Paranaense.

Ampliação



Um dos exemplos mais dramáticos da capacidade das Escrituras para transformar homens e mulheres foi relatado no famoso filme Mutiny on the Bounty (no Brasil O Grande Motim, original de 1935). Após sua rebelião contra o famigerado Capitão Bligh, nove amotinados, com os homens e mulheres do Taiti, encontraram o caminho para a Ilha de Pitcairn, um pequeno ponto no Pacífico Sul, apenas dois quilômetros de comprimento e um quilômetro de largura.

Dez anos depois, a bebida e os conflitos a tinham devastado, deixando apenas um homem vivo, John Adams. Onze mulheres e 23 crianças compunham o restante da população da Ilha. Até agora, esta é a conhecida história que ficou famosa no livro e filme. Mas o resto da história é ainda mais notável. Nessa época, Adams encontrou a Bíblia do navio Bounty, no fundo de um velho baú. 
Ele começou a lê-la, e o poder da Palavra de Deus entrou no coração daquele homem endurecido naquela minúscula ilha do vasto Oceano Pacífico. A vida dele foi mudada para sempre! A paz e o amor que Adams havia encontrado nas Escrituras substituiu inteiramente a velha vida de brigas e de álcool.


Ele começou a ensinar as crianças a partir da Bíblia até que cada pessoa na ilha tivesse experimentado a mesma mudança incrível que ele havia encontrado. A Palavra de Deus é viva e eficaz. Quando a lemos, ela toca as necessidades de nossa vida de uma forma palpável.
Assumir que estamos errados e precisamos de mudança é algo difícil. Se formos honestos com nós mesmos, veremos que também necessitamos de um reavivamento mais do que pensamos. É claro que normalmente não pensamos sobre nós mesmos dessa maneira. Sentimos orgulho ao ver como somos bons. Fingimos que não temos problemas para manter o jogo, ser famosos, para conseguirmos um bom emprego ou comprar uma casa grande ou um carro do ano para mostrar quanto somos bons. Amamos encobrir os nossos problemas morais ou conjugais a fim de evitar uma exposição de nossas fraquezas. Mas, na verdade, estamos espiritualmente mortos e precisamos ser reavivados.


A única maneira de haver um reavivamento em nossa vida é ter a Palavra de Deus como base de tudo. No passado, o reavivamento aconteceu através das sagradas Escrituras e da busca incessante pelas verdades bíblicas. A grande verdade é que “enquanto outros livros informam e poucos reformam, só esse Livro transforma”, afirmou A. T. Pierson.


A primeira coisa que precisamos fazer é definir a palavra reavivado. Temos focado e orado por reavivamento por vários anos. Para a maior parte da igreja essa palavra não é nova, e ainda assim, é fácil esquecer seu significado. Na raiz da palavra, reavivar significa "trazer à vida." Da raiz latina, “re” significa novo e “vivere” significa vida. Na verdade, algumas versões e traduções não usam a palavra reviver mas as palavras “trazer à vida”.


Quando olhamos para todos os versos que contêm o termo "vivifica-me", ficamos surpresos ao ver alguém tão forte na vida cristã, que regularmente clamava: "Vivifica-me!" Mas há outra característica nesse Salmo. Se você já leu o Salmo 119 antes, sem dúvida reconheceu que o salmista estava preocupado com a Palavra de Deus.


A Palavra de Deus é a fonte que nunca seca para a vida do cristão. Davi compreendeu muito bem a necessidade de buscar nessa fonte a força espiritual. Somos como um copo que precisa constantemente ser cheio do poder de Deus. Se tenho um copo vazio, é fácil levá-lo para a torneira e enchê-lo com água. Mas se eu pensar que ele está cheio, então nunca irei enchê-lo. Assim é também com nossa vida espiritual. Jesus é o rio da vida e ainda assim não vamos a Ele para beber.


A Palavra de Deus é diferente de qualquer outro livro. A Biblioteca do congresso americano reivindica ser a maior do mundo, com mais de 130 milhões de itens, com aproximadamente 850 quilômetros de estantes. As coleções incluem mais de 29 milhões de livros e outros materiais impressos, 2,7 milhões de gravações, 12 milhões de fotografias, 4,8 milhões de mapas e 58 milhões de manuscritos. No entanto, entre todos esses volumes os únicos que podem reivindicar estarem vivos e serem poderosos são as cópias da Bíblia. Isso coloca a Bíblia em uma categoria única.


A palavra "viva" (zon) em Hebreus 4:12 é colocada na posição empática no idioma original. A Palavra de Deus não é letra morta, mas é a palavra do Deus vivo, que não pode deixar de ser vivo. A Palavra viva tem relevância e nos convence.


Certo homem buscava receber inspiração da Palavra de Deus. Ele dizia que não conseguia receber a inspiração da Bíblia, embora a tivesse buscado várias vezes. "Leia a Palavra mais uma vez. Então você vai contar uma nova história!”, respondeu um idoso pastor. Ou seja, é impossível ter contato com a Palavra de Deus e contar a mesma história de sempre. A Palavra é viva; cada contato com ela faz com que vivenciemos diferentes experiências.


"A Palavra de Deus é viva e eficaz". O termo traduzido como "eficaz" (energes) é a palavra da qual temos no português energia e energético. A palavra significa literalmente "no trabalho." Charles Swindoll afirma que "artigos de jornais podem nos informar. Romances podem nos inspirar. A poesia pode encantar-nos. Mas só a Palavra, a vida ativa de Deus pode nos transformar.”


A razão para se ler a Bíblia é o encontro com seu Autor. Não faça uma leitura da Bíblia apenas para seu próprio bem, como alguns têm feito, mas faça porque é vital para se ter um encontro com Deus. Na Bíblia podemos encontrar a revelação da natureza e do caráter dEle, e por meio dela aceitamos Sua oferta de salvação e cura. O próprio Jesus disse: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam” (João 5:39 ACF).


O grande pregador Charles Spurgeon disse: “Muitos livros em minha biblioteca estão agora desatualizados. Foram bons enquanto eram novos, à semelhança das roupas que usei quando tinha dez anos de idade. Mas eu cresci e as deixei para trás. Ninguém jamais deixa para trás as Escrituras por ter crescido; esse Livro se amplia e é mais conhecido à medida que passam nossos anos” (MANSER, Martin. The Westminster Collection of Christian Quotations. Louisville: Westminster Knox 2001, p. 22)


A principal razão para a leitura da Bíblia é encontrar o Salvador que deseja ter você como amigo. A intenção de Deus é ter uma relação mais profunda com cada um de nós, e é por isso que Ele Se faz conhecido. Sendo assim, podemos aceitar Sua salvação e viver junto com Ele. "Esta é a vida eterna: que Te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste" (Jo 17:3, NVI).
Primeiro de tudo, Jesus repreendeu Seus discípulos por não entenderem nem acreditarem nas Escrituras. Essa não foi a primeira vez que Jesus os repreendeu por não acreditarem nas Escrituras e por falta de uma fé vibrante. É importante ler, estudar, meditar e conhecer a Palavra de Deus, pois ela produz fé. Romanos 10:17 diz: "Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a Palavra de Cristo" (NVI). Então, começando por Moisés, autor dos cinco primeiros livros da Bíblia, e passando pelos profetas, desde Gênesis a Malaquias, Ele lhes ensinou as Escrituras. Se eles tivessem entendido o Antigo Testamento anteriormente, teriam conhecido que Jesus era o Messias, e que o Messias tinha que sofrer e morrer antes de Sua glória! Para conhecer Jesus é necessário conhecer Deus. Lucas 24:27 diz: "Começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a Seu respeito constava em todas as Escrituras”. A fé aumenta pela oração, é fortalecida pelo estudo da Palavra e se cumpre quando nos submetemos diariamente ao Senhor Jesus.


Considerações finais

Muitos anos atrás, Samuel Chadwick escreveu: "Tenho orientado minha vida pela Bíblia há mais de 60 anos e digo que não há livro como esse. É um milagre da literatura, uma fonte perene de sabedoria, uma maravilha de surpresas, a revelação do mistério, o guia infalível de conduta, e fonte indescritível de conforto. Não preste atenção às pessoas que desacreditarem, pois eu lhes digo que elas falam sem conhecimento. A Bíblia é a própria Palavra de Deus. Você deve estudá-la de acordo com a orientação da Palavra e viver por seus princípios. Acredite em sua mensagem. Siga seus preceitos. Nenhum homem é ignorante conhecendo a Bíblia, e ninguém é sábio sendo ignorante de seus ensinamentos” (CHADWICK, Samuel. 1001 Grandes Histórias e Citações; R. Kent Hughes. Wheaton: Tyndale House, 1998, p. 77).


O poder transformador e o reavivamento só vêm por meio do profundo relacionamento com Deus. A Bíblia é a maneira pela qual podemos conhecer a vontade do Senhor em nossa vida. Ellen G. White declarou: "Recomendo-lhe, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de sua fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. Nela, Deus prometeu dar visões nos 'últimos dias'; não para uma nova regra de fé, mas para conforto do Seu povo e para corrigir os que se desviam da verdade bíblica” (The Advent Review and Sabbath Herald, 20 de janeiro de 1903), Ou seja, nos últimos dias a Bíblia será imprescindível para o reavivamento em nossa vida. Ellen G. White declara: “Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós” é “a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação.” (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 121).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livros de Ellen White em PDF - Download

Colossenses 2:13-14 - Explicação