08 - As cidades - Eventos Finais


Os primeiros construtores de cidades

Recebendo a maldição de Deus, Caim se retirou da casa do pai.
Escolheu a princípio para si a ocupação de cultivador do solo, e então
fundou uma cidade, chamando-a pelo nome de seu filho mais velho.
Gênesis 4:17. Saíra da presença do Senhor, rejeitara a promessa do
Éden restaurado, a fim de buscar suas posses e gozos na Terra sob a
maldição do pecado, ficando assim à frente daquela grande classe de
homens que adoram o deus deste mundo.—Patriarcas e Profetas,
81.
Durante algum tempo os descendentes de Noé continuaram a
habitar entre as montanhas onde a arca repousara. Aumentando o
seu número, a apostasia logo determinou a divisão. Aqueles que
desejavam esquecer-se de seu Criador, e lançar de si as restrições
de Sua lei, sentiam um incômodo constante pelo ensino e exemplos
de seus companheiros tementes a Deus; e depois de algum tempo
resolveram separar-se dos adoradores de Deus. Em seguida, viajaram
para a planície de Sinear, nas margens do rio Eufrates. ... 
Ali resolveram edificar uma cidade, e nela uma torre de altura
tão estupenda que havia de torná-la uma maravilha do mundo. —
Patriarcas e Profetas, 118-119.

As cidades são viveiros de vícios

A sucessão de prazeres e divertimentos centraliza-se nas cidades.
Muitos pais que escolhem um lar na cidade para os filhos, pensando
dar-lhes maiores vantagens, são desapontados, mas demasiado tarde
se arrependem de seu terrível erro. As cidades de nosso tempo
tornam-se depressa como Sodoma e Gomorra. Os muitos feriados
animam à ociosidade. Os divertimentos — o teatro, corridas de
cavalo, jogos, as bebidas alcoólicas, banquetes e orgias—estimulam
ao extremo todas as paixões. A juventude é arrastada pela corrente
popular. — Parábolas de Jesus, 54.
Foi-me revelado que as cidades se encherão de confusão, violência
e crime, e que estas coisas aumentarão até ao fim da história da
Terra. —Testemunhos Seletos 3:115.
Em todo o mundo as cidades se estão tornando viveiros de vícios.
Por toda parte se vê e ouve o que é mau, e encontram-se estimulantes
à sensualidade e ao desregramento. — A Ciência do Bom Viver,
363.

Juízos que sobrevêm às cidades

Terríveis abalos sobrevirão à Terra, e os suntuosos palácios erigidos
à custa de enormes despesas certamente se transformarão em
 montões de ruínas.— Manuscript Releases 3:312.
Quando é retirada a mão de Deus que restringe, o destruidor
começa sua obra. Então ocorrerão as maiores calamidades em nossas
cidades.— Manuscript Releases 3:314.
O Senhor faz advertências aos habitantes da Terra, como no
incêndio de Chicago e nos de Melbourne, Londres e da cidade de
Nova Iorque.— Manuscrito 127, 1897.
O fim está perto, e cada cidade será transtornada de todos os
modos. Haverá confusão em todas as cidades. Tudo que puder ser
abalado há de ser abalado, e não sabemos o que virá em seguida.
Os juízos serão de acordo com a iniqüidade das pessoas e a luz da
verdade que elas tiveram. — Manuscript Releases 1:248.
Quem dera que o povo de Deus tivesse uma idéia da impendente
destruição de milhares de cidades, agora quase dominadas pela
idolatria!—Evangelismo, 29.
Está próximo o tempo em que grandes cidades serão destruídas, e
todos devem ser advertidos destes juízos vindouros.—Evangelismo,
29.

Edifícios à prova de catástrofes se transformarão em cinzas

Vi as mais dispendiosas estruturas de edifícios erigidos e que se
acreditava serem à prova de fogo. E assim como Sodoma pereceu nas
chamas da vingança de Deus, essas suntuosas construções também se
transformarão em cinzas. ... Os lisonjeiros monumentos da grandeza
de homens serão reduzidos a pó, mesmo antes que sobrevenha ao
mundo a última grande destruição. — Mensagens Escolhidas 3:418-
419. 
Deus está retirando Seu Espírito das ímpias cidades, as quais
se tornaram como as cidades do mundo antediluviano e como Sodoma
e Gomorra. ... Suntuosas mansões, maravilhas da habilidade
arquitetônica, serão destruídas num momento para outro, quando o
Senhor notar que os proprietários excederam os limites do perdão.
A destruição, pelas chamas, de majestosos edifícios que se presumia
serem à prova de fogo, é uma ilustração de como em pouco tempo a
arquitetura da Terra jazerá em ruínas.— Este Dia Com Deus, 150.
Os homens continuarão a erigir edifícios dispendiosos, que custem
milhões de dólares. Será dada especial atenção à sua beleza
arquitetônica e à firmeza e solidez com que são construídos, mas o
Senhor me informou que, não obstante a extraordinária firmeza e o
dispendioso aparato, esses edifícios terão o mesmo fim que o templo
de Jerusalém.—The S.D.A. Bible Commentary 5:1098.

A cidade de Nova Iorque

Deus não tem executado Sua ira sem misericórdia. Sua mão
ainda está estendida. Sua mensagem precisa ser transmitida na
Grande Nova Iorque. Deve ser mostrado ao povo como é possível
para Deus, com um simples toque de Sua mão, destruir os bens que
eles acumularam para o último grande dia. — Manuscript Releases
3:310-311.
Não tenho luz especial a respeito do que sobrevirá a Nova Iorque,
mas sei que um dia os grandes edifícios que estão ali serão demolidos
pela ação construtiva e destrutiva do poder de Deus. ... A morte
chegará a todos os lugares. É por isso que estou tão ansiosa de que
nossas cidades sejam advertidas. — The Review and Herald, 5 de
Julho de 1906.
Uma ocasião, achando-me eu na cidade de Nova Iorque, fui
convidada, à noite, para contemplar os edifícios que se erguiam,
andar sobre andar, para o céu. Garantia-se que esses edifícios seriam
à prova de fogo, e haviam sido erigidos para glorificar seus
proprietários e construtores. ...
A cena que em seguida passou perante mim foi um alarma de
fogo. Os homens olhavam aos altos edifícios, supostamente incombustíveis,
e diziam: “Estão perfeitamente seguros.” Mas esses edifícios
foram consumidos como se fossem feitos de pez. Os aparelhos
contra incêndios nada podiam fazer para deter a destruição. Os bombeiros
não podiam fazer funcionar as máquinas. — Testemunhos
Seletos 3:281-282.

Chicago e Los Angeles

Cenas que logo ocorreriam em Chicago e outras grandes cidades
também passaram diante de mim. Ao avolumar-se a iniqüidade e
retirar-se o protetor poder de Deus, houve tempestades e ventos
destruidores. Edifícios foram destruídos pelo fogo e deitados abaixo
por terremotos. ...
Algum tempo depois disso, foi-me mostrado que a visão dos
edifícios em Chicago e o ônus sobre os recursos de nosso povo
para erigi-los, e sua destruição, eram uma lição prática para nosso
povo, advertindo-os de que não deviam investir amplamente seus
recursos em propriedades na cidade de Chicago, ou em alguma
outra cidade, a não ser que a Providência Divina abrisse o caminho
e indicasse claramente o dever de construir ou comprar, por ser
necessário à transmissão da mensagem de advertência. Foi feita uma
admoestação similar no tocante ao ato de construir em Los Angeles.
Reiteradas vezes tenho sido avisada de que não devemos aplicar
recursos na construção de edifícios dispendiosos nas cidades. —
Para Conhecê-lo, 50.

São Francisco e Oakland

São Francisco e Oakland estão se tornando como Sodoma e
Gomorra, e o Senhor irá puni-las. Não vai longe o tempo em que
elas sofrerão os Seus juízos.— Manuscrito 30, 1903.
O terrível terremoto que sobreveio a São Francisco será seguido
de outras manifestações do poder de Deus. Sua lei tem sido transgredida.
As cidades tornaram-se poluídas pelo pecado. Estudai a
história de Nínive. Deus enviou uma mensagem especial a essa cidade
iníqua por intermédio de Jonas. ... Muitas mensagens como
a sua seriam transmitidas em nossa época, se as cidades iníquas
se arrependessem como Nínive.—Manuscrito 61a, 3 de Junho de
1906.
Mesmo nas cidades em que os juízos de Deus têm caído em
conseqüência dessa transgressão, não há sinais de arrependimento.
Os bares ainda estão abertos e muitas tentações são mantidas diante
do povo.— Carta 268, 20 de Agosto de 1906.

Outras cidades iníquas

Ao nos aproximarmos do fim da história terrestre, as cenas da
calamidade de São Francisco hão de repetir-se em outros lugares. ... 
Estas coisas me infundem um ar muito solene, pois sei que o dia do
juízo está precisamente diante de nós. Os juízos que já ocorreram
constituem uma advertência, mas não o fim da punição que sobrevirá
às cidades iníquas. ...
[Habacuque 2:1-20; Sofonias 1:1-3:20; Zacarias 1:1-4:14; Malaquias
1:1-4.] Estas cenas logo serão presenciadas assim como foram
claramente descritas. Apresento estas maravilhosas declarações das
Escrituras para consideração de todos. As profecias relatadas no
Antigo Testamento são a palavra do Senhor para os últimos dias, e
cumprir-se-ão com tanta certeza como vimos a desolação de São
Francisco.— Carta 154, 26 de Maio de 1906.
Tenho ordem de declarar a mensagem, dizendo que as cidades
onde reina a transgressão, extremamente pecadoras, serão destruídas
por terremotos, pelo fogo e por dilúvio.— Evangelismo, 27.
Todas as advertências de Cristo acerca dos eventos que ocorrerão
perto do fim da história terrestre estão agora se cumprindo
em nossas grandes cidades. Deus está permitindo que estas coisas
sejam trazidas à luz para que as possa ler até quem passa correndo.
A cidade de São Francisco é uma amostra do que o mundo inteiro
está-se tornando. O pernicioso suborno, a malversação de recursos,
as transações fraudulentas entre homens que têm autoridade para
soltar os culpados e condenar os inocentes—toda essa iniqüidade
está enchendo outras grandes cidades da Terra e tornando o mundo
como ele era nos dias que precederam o Dilúvio.—Carta 230, 1907.

Os sindicatos nas cidades

Satanás está ativamente em operação em nossas cidades populosas.
Sua obra é observada na confusão, na luta e discórdia entre o
capital e o trabalho, bem como na hipocrisia que penetrou nas igrejas.
... A concupiscência da carne, a soberba dos olhos, a ostentação
do egoísmo, o abuso do poder, a crueldade e a força empregados para
fazer com que os homens se liguem às confederações e uniões —
atando-se a si mesmos em molhos para a queima dos grandes fogos
dos últimos dias — tudo isso é operação de instrumentos satânicos.
— Evangelismo, 26.
Os ímpios estão sendo atados em feixes, atados em conglomerados
comerciais, em sindicatos, em confederações. Não devemos ter
nada que ver com essas organizações. Deus é o nosso Soberano, o
nosso Governador, e Ele nos convida a sair e separar-nos do mundo.
“Retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis
em coisas impuras.” 2 Coríntios 6:17. Se recusarmos fazer isso, se
continuarmos a nos vincular ao mundo e a encarar toda questão
de um ponto de vista mundano, tornar-nos-emos como o mundo.
Quando métodos e idéias mundanos governam nossas transações,
não podemos colocar-nos sobre a elevada e santa plataforma da
verdade eterna.— The S.D.A. Bible Commentary 4:1142.

Os sindicatos— Fonte de perturbação para os adventistas

Os sindicatos serão um dos instrumentos que trarão sobre a Terra
um tempo de angústia tal como nunca houve desde o princípio do
mundo. ...
Alguns homens combinarão segurar todos os meios que se possam
obter em certos ramos de negócio. Formar-se-ão sindicatos, e
os que a eles se recusam unir serão homens marcados. ...
Por causa dessas uniões e confederações, logo será muito difícil
nossas instituições levarem avante seu trabalho nas cidades. Minha
advertência é: Conservai-vos fora das cidades. Não edifiqueis
sanatórios nas cidades.— Mensagens Escolhidas 2:142.
Bem depressa se aproxima o tempo em que o poder controlador
dos sindicatos será muito opressivo.—Mensagens Escolhidas
2:141.

Nas cidades, muitos anseiam por luz e verdade

As cidades das nações serão tratadas rigorosamente; contudo,
não serão castigadas com a extrema indignação de Deus, porque
algumas almas ainda se despregarão dos enganos do inimigo,
arrepender-se-ão e se converterão.—Evangelismo, 27.
As trevas espirituais que cobrem o mundo inteiro estão-se intensificando
nos apinhados centros populacionais. É nas cidades das
nações que os obreiros evangélicos encontram a maior impenitência
e a maior necessidade. E nessas mesmas cidades os ganhadores
de almas deparam com algumas das maiores oportunidades. Em
meio às multidões que não pensam em Deus e no Céu, encontram-se
muitos que almejam luz e pureza de coração. Até mesmo entre os
descuidados e indiferentes, a atenção de não poucas pessoas pode
ser atraída por uma revelação do amor de Deus pela alma humana.
— The Review and Herald, 17 de Novembro de 1910.

É preciso haver diligente esforço nas cidades

Como preparação para a vinda de nosso Senhor, devemos realizar
um amplo trabalho nas grandes cidades. Temos um solene testemunho
a ser dado nesses grande centros.—Words of Encouragement
to Self-supporting Workers, 5.
A mensagem de advertência para este tempo não está sendo
transmitida diligentemente no grande mundo comercial. Dia a dia
os centros de comércio estão repletos de homens e mulheres que necessitam
da verdade para este tempo, mas não obtêm conhecimento
para a salvação de seus preciosos princípios porque não são envidados
diligentes e perseverantes esforços para alcançar esta classe de
pessoas onde elas se encontram.—Counsels to Writers and Editors,
14.
A mensagem do terceiro anjo deve agora ser proclamada não
só em países distantes, mas também em negligenciados lugares por
perto, em que há multidões não advertidas e salvas. Nossas cidades,
em toda parte, requerem diligente e sincero trabalho da parte dos
servos de Deus. — The Review and Herald, 17 de Novembro de
1910.

Nem todos podem deixar as cidades por enquanto

Sempre que possível, é dever dos pais estabelecer lares no campo
para os filhos.— O Lar Adventista, 141.
Conforme o tempo avança, cada vez mais terá nosso povo de sair
das cidades. Durante anos temos recebido a instrução de que nossos
irmãos e irmãs, e especialmente as famílias que têm filhos, devem
fazer planos para abandonar as cidades, conforme diante deles se
abra o caminho para fazê-lo. Muitos terão de trabalhar com empenho
para ajudar a abrir o caminho. Mas até que seja possível saírem,
durante todo o tempo que ali permanecerem, devem ser muito ativos
em fazer trabalho missionário, por mais limitada que seja a sua esfera
de influência.—Mensagens Escolhidas 2:360.
Nossas cidades estão se tornando cada vez mais ímpias, e cada
vez mais se torna evidente que os que desnecessariamente nelas
permanecem, fazem-no pondo em perigo a salvação de sua alma. —
Vida no Campo, 14.
Cidades e vilas se acham embebidas no pecado e na corrupção
moral; todavia existem Lós em toda Sodoma.—Testemunhos
Seletos 2:416.

Escolas, igrejas e restaurantes nas cidades

Muito mais se pode fazer para salvar e educar os filhos dos que
presentemente não podem sair das cidades. Essa é uma questão
digna dos nossos melhores esforços. Devem-se estabelecer escolas
de igreja para as crianças que estão nas cidades, e em ligação com
essas escolas, devem-se tomar providências para o ensino de estudos
mais elevados, onde estes forem exigidos.—Orientação da Criança,
306.
Nossos restaurantes devem estar nas cidades; pois de outra maneira
os obreiros desses restaurantes não poderiam alcançar o povo
e ensinar-lhe os princípios do viver sadio. — Mensagens Escolhidas 2:142.
Repetidamente nos vem o Senhor instruindo que devemos fazer
o trabalho nas cidades partindo de centros da periferia. Nessas cidades,
devemos ter casas de culto, como memoriais de Deus, mas
as instituições para a publicação de nossa literatura, para a cura
dos enfermos e para o preparo de obreiros, devem ser estabelecidas
fora das cidades. É, especialmente, importante que nossos jovens
sejam protegidos das tentações da vida nas cidades.—Mensagens
Escolhidas 2:358.

Não são aconselhadas mudanças precipitadas

Cada qual tome tempo para considerar cuidadosamente e não
ser como o homem da parábola que começou a edificar e não pôde
terminar. Nenhuma mudança se deve fazer sem que tal passo e tudo o
que ele implica sejam cuidadosamente considerados—tudo pesado.
...
Pode haver indivíduos que agem precipitadamente, e entram em
algum negócio de que nada sabem. Deus não exige tal coisa. ...
Nada se faça de maneira desordenada, para que não haja grande
perda ou sacrifício de propriedade, devido a discursos ardentes e
impulsivos que despertam um entusiasmo que não é segundo a
vontade de Deus; para que, por falta de equilibrada moderação, e
devida contemplação, e de sadios princípios e propósitos, uma vitória
que necessitava ser ganha se transforme em derrota.—Mensagens
Escolhidas 2:362-363. 

O sinal de fuga das cidades

Não vem muito distante o tempo em que, como os antigos discípulos,
seremos forçados a buscar refúgio em lugares desolados e
solitários. Como o cerco de Jerusalém pelos exércitos romanos era o
sinal de fuga para os cristãos judeus, assim o arrogar-se nossa nação
o poder no decreto que torna obrigatório o dia de repouso papal será
uma advertência para nós. Será então tempo de deixar as grandes
cidades, passo preparatório ao sair das menores para lares retirados
em lugares solitários entre as montanhas.—Testemunhos Seletos
2:166.

Alguns justos nas cidades, depois de aprovado o decreto de
morte

No tempo da angústia fugimos todos das cidades e vilas, mas
fomos perseguidos pelos ímpios, os quais entraram nas casas dos
santos com espada.—Primeiros Escritos, 34.
Ao deixarem os santos as cidades e vilas, eram perseguidos pelos
ímpios, que os procuravam matar. Mas as espadas que se levantavam
para matar o povo de Deus, quebravam-se e caíam tão impotentes
como uma palha. Anjos de Deus escudavam os santos. — Primeiros
Escritos, 284-285.
Posto que um decreto geral haja fixado um tempo em que os
observadores dos mandamentos poderão ser mortos, seus inimigos
nalguns casos se antecipam ao decreto e, antes do tempo especificado,
se esforçam por tirar-lhes a vida. Mas ninguém pode passar
através dos poderosos guardas estacionados em redor de todo aquele
que é fiel. Alguns são assaltados ao fugirem das cidades e vilas; mas
as espadas contra eles levantadas se quebram e caem tão impotentes
como a palha. Outros são defendidos por anjos sob a forma de
guerreiros.— O Grande Conflito, 631.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livros de Ellen White em PDF - Download

Colossenses 2:13-14 - Explicação