09 - Leis Dominicais - Eventos Finais


O desafio de Satanás à autoridade de Deus

Deus denuncia Babilônia porque “tem dado a beber a todas as
nações do vinho da fúria da sua prostituição”. ...
Deus fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, santificando
este dia e separando-o de todos os outros como sagrado a Sua
própria Pessoa, para que fosse observado por Seu povo durante todas
as suas gerações. Mas o homem do pecado, exaltando-se acima de
Deus, assentando-se no templo de Deus e ostentando-se como se
fosse o próprio Deus, cuidou em mudar os tempos e as leis. Este
poder, tencionando provar que não somente era igual a Deus, mas
estava acima de Deus, mudou o dia de repouso, colocando o primeiro
dia da semana onde deveria estar o sétimo. E o mundo protestante
tem admitido que este filho do papado seja considerado sagrado. Na
Palavra de Deus, isto é chamado de sua fornicação. Apocalipse 14:8.
— The S.D.A. Bible Commentary 7:979.
Durante a dispensação cristã, o grande inimigo da felicidade do
homem fez do sábado do quarto mandamento um objeto de ataque
especial. Satanás diz: “Eu atravessarei os propósitos de Deus. 
Capacitarei meus seguidores a porem de lado o memorial de Deus, o
sábado do sétimo dia. Assim, mostrarei ao mundo que o dia abençoado
e santificado por Deus foi mudado. Esse dia não perdurará
na mente do povo. Apagarei a lembrança dele. Porei em seu lugar
um dia que não leve as credenciais de Deus, um dia que não seja
um sinal entre Deus e Seu povo. Levarei os que aceitarem este dia a
porem sobre ele a santidade que Deus pôs sobre o sétimo dia.” —
Profetas e Reis, 183-184.

O Sábado— O grande ponto em litígio

Na peleja a ser travada nos últimos dias estarão unidos, em oposição
ao povo de Deus, todos os poderes corruptos que apostataram
da lealdade à lei de Jeová. Nessa peleja, o sábado do quarto 
mandamento será o grande ponto em litígio, pois no mandamento do
sábado o grande Legislador Se identifica como o Criador dos céus e
da Terra. — Mensagens Escolhidas 3:392-393.
“Certamente guardareis os Meus sábados”, diz o Senhor; “pois é
sinal entre Mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que Eu
sou o Senhor, que vos santifica.” Êxodo 31:13. Alguns procurarão
colocar obstáculos no caminho da observância do sábado, dizendo:
“Não sabeis que dia é o sábado”, mas parecem saber quando chega
o domingo, e têm manifestado grande zelo em fazer leis impondo
sua observância.— The Kress Collection, 148.

O movimento da lei dominical na década de 1880

Por muitos anos temos esperado que seja promulgada uma lei
dominical em nosso país, e agora que o movimento está precisamente
diante de nós, perguntamos: O que nosso povo pretende fazer neste
sentido? ... Devemos buscar especialmente a Deus, pedindo que
agora seja concedido graça e poder a Seu povo. Deus vive, e não
cremos que chegou plenamente o tempo em que Ele queira que
nossas liberdades sejam restringidas.
O profeta viu “quatro anjos em pé nos quatro cantos da Terra,
conservando seguros os quatro ventos da Terra, para que nenhum
vento soprasse sobre a Terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore
alguma”. Outro anjo, “que subia do nascente do Sol”, gritou para
eles, dizendo: “Não danifiqueis nem a Terra, nem o mar, nem as
árvores, até selarmos em suas frontes os servos do nosso Deus.”
Isto aponta para a obra que temos de fazer agora: clamar a Deus
para que os anjos segurem os quatro ventos até que sejam enviados
missionários a todas as partes do mundo e tenham proclamado a
advertência acerca da desobediência à lei de Jeová. — Review and
Herald Extra, 11 de Dezembro de 1888.

Defensores da lei dominical não compreendem o que fazem

O movimento dominical está agora abrindo caminho nas trevas.
Os líderes encobrem a verdadeira questão, e muitos que se unem ao
movimento não percebem para onde propende a tendência oculta.
... Eles estão agindo como cegos. Não vêem que se um governo
protestante abandona os princípios que deles fizeram uma nação
livre e independente, e, pela legislação, introduz na Constituição
princípios que propaguem a falsidade e ilusão papal, eles estão se
lançando nos horrores romanos da Idade Média. — Review and
Herald Extra, 11 de Dezembro de 1888.
Muitos há, mesmo entre os que se empenham neste movimento
em favor da imposição do domingo, que se acham cegos aos resultados
que seguirão a essa ação. Não vêem que golpeiam diretamente a
liberdade religiosa. Muitos existem que jamais compreenderam as
reivindicações do sábado bíblico e o falso fundamento sobre o qual
repousa a instituição do domingo. ...
Os que se empenham em conseguir uma emenda à Constituição,
para obter uma lei que imponha a observância do domingo, mal
compreendem qual vai ser o resultado. Uma crise está iminente. —
Testemunhos Seletos 2:318-352.

Não ficar parado, sem fazer nada

É nosso dever fazer tudo que estiver ao nosso alcance para evitar
o perigo que se aproxima. ... Sobre homens e mulheres de oração,
em todas as partes do país, recai a grande responsabilidade de pedir
que Deus afaste essa nuvem do mal, e conceda mais alguns anos de
graça para trabalharmos para o Mestre.—Review and Herald Extra,
11 de Dezembro de 1888.
Os que estão agora guardando os mandamentos de Deus precisam
pôr-se em atividade para obter a ajuda especial que só Deus
pode dar-lhes. Devem trabalhar mais diligentemente para adiar até 
quando for possível a calamidade que se aproxima.—The Review
and Herald, 18 de Dezembro de 1888.
O povo de Deus, que guarda os mandamentos, não deve permanecer
calado neste tempo, como se aceitássemos a situação de bom
grado.— The S.D.A. Bible Commentary 7:975.
Não estamos cumprindo a vontade de Deus se nos deixarmos
ficar em quietude, nada fazendo para preservar a liberdade de consciência.
Fervente e eficaz oração deve ascender ao Céu para que
essa calamidade seja deferida até que possamos realizar a obra por
tanto tempo negligenciada. Haja as mais fervorosas orações, e então
trabalhemos em harmonia com as nossas orações.—Testemunhos
Seletos 2:320-321.
Há muitos que estão despreocupados, e se acham, por assim
dizer, adormecidos. Eles dizem: “Se a profecia predisse a imposição
da observância do domingo, a lei certamente será promulgada”, e,
tendo chegado a essa conclusão, assentam-se em calma expectativa
do evento, confortando-se com o pensamento de que Deus protegerá
Seu povo no tempo de angústia. Mas o Senhor não nos livrará se não
fizermos algum esforço para realizar a obra que Ele nos confiou. ...
Como fiéis atalaias, deveis dar o aviso ao ver que vem a espada,
para que homens e mulheres, pela ignorância, não sigam um rumo
que evitariam se conhecessem a verdade. — Review and Herald
Extra, 24 de Dezembro de 1889.

Combater as leis dominicais pela pena e pela voz

Não podemos trabalhar para agradar a homens que irão empregar
sua influência para reprimir a liberdade religiosa, e pôr em execução
medidas opressivas para levar ou compelir seus semelhantes a
observar o domingo como sábado. O primeiro dia da semana não é
um dia para ser reverenciado. É um sábado espúrio, e os membros
da família do Senhor não podem ter parte com os homens que o
exaltam, e violam a lei de Deus, pisando Seu sábado. O povo de
Deus não deve votar para colocar tais homens em cargos oficiais;
pois assim fazendo, são participantes nos pecados que eles cometem
enquanto investidos desses cargos. — Fundamentos da Educação
Cristã, 475.
Espero que a trombeta dê o sonido certo no tocante a esse movimento
da lei dominical. Penso que seria melhor se, em nossas
revistas, o assunto da perpetuidade da lei de Deus se tornasse uma
especialidade. ... Devemos agora fazer tudo que for possível para
derrotar essa lei dominical. — Counsels to Writers and Editors,
97-98.

Os Estados Unidos aprovarão uma lei dominical

Quando nossa nação renunciar os princípios de seu governo de tal
forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo
dará a mão ao papado.— Testemunhos Seletos 2:318.
Os protestantes lançarão toda a sua influência e poder ao lado do
papado. Por um ato nacional impondo o falso sábado, eles darão vida
e vigor à corrompida fé de Roma, avivando sua tirania e opressão da
consciência.— Maranata, 179.
Mais cedo ou mais tarde serão aprovadas leis dominicais.—The
Review and Herald, 16 de Fevereiro de 1905. 
Em breve serão impostas as leis dominicais, e homens em posições
de confiança ficarão furiosos com o pequeno número do povo
de Deus que guarda os mandamentos.—Manuscript Releases 4:278.
A profecia do Capítulo 13 do Apocalipse declara que o poder
representado pela besta de cornos semelhantes aos do cordeiro fará
com que a “Terra e os que nela habitam” adorem o papado, ali
simbolizado pela besta “semelhante ao leopardo”. ... Esta profecia
se cumprirá quando aquela nação impuser a observância do domingo,
que Roma alega ser um reconhecimento especial de sua supremacia.
...
A corrupção política está destruindo o amor à justiça e a consideração
para com a verdade; e mesmo na livre América do Norte,
governantes e legisladores, a fim de conseguir o favor do público,
cederão ao pedido popular de uma lei que imponha a observância
do domingo.— O Grande Conflito, 578, 579-592.

Argumentos usados pelos defensores da lei dominical

Satanás dá sua interpretação aos eventos, e os homens pensam,
como ele quer que o façam, que as calamidades que enchem a Terra
constituem um resultado da transgressão do domingo. Tencionando
aplacar a ira de Deus, esses homens influentes fazem leis impondo a
observância do domingo.— Manuscript Releases 10:239.
Esta mesma classe apresenta a alegação de que a corrupção que
rapidamente se alastra é atribuível em grande parte à profanação do
descanso dominical, e que a imposição da observância do domingo 
melhoraria grandemente a moral da sociedade. Insiste-se nisto 
especialmente na América do Norte, onde a doutrina do verdadeiro
sábado tem sido mais amplamente pregada.—O Grande Conflito,
587.

O protestantismo e o catolicismo agirão de comum acordo

O protestantismo dará a mão da comunhão ao poder romano.
Então haverá uma lei contra o sábado da criação divina, e será nessa
ocasião que Deus efetuará Sua “estranha obra” na Terra. — The
S.D.A. Bible Commentary 7:910.
Não conseguimos ver como a Igreja romana poderá
desembaraçar-se da acusação de idolatria. ... E esta é a religião
que os protestantes estão começando a encarar com tanto agrado e
que finalmente se unirá com o protestantismo. Esta união não será,
porém, efetuada por uma mudança no catolicismo, pois Roma não
muda. Ela declara possuir infalibilidade. É o protestantismo que
mudará. A adoção de idéias liberais, de sua parte, o conduzirá ao
ponto em que possa apertar a mão do catolicismo.—The Review
and Herald, 1 de Junho de 1886.
O pretenso mundo protestante formará uma confederação com
o homem do pecado, e a igreja e o mundo estarão em corrupta
harmonia.— The S.D.A. Bible Commentary 7:975.
O romanismo no Velho Mundo, e o protestantismo apóstata no
Novo, adotarão uma conduta idêntica para com aqueles que honram
todos os preceitos divinos.— O Grande Conflito, 615-616.

As leis dominicais honram a Roma

Quando as principais igrejas dos Estados Unidos, ligando-se
em pontos de doutrinas que lhes são comuns, influenciarem o Estado
para que imponha seus decretos e lhes apóie as instituições, a
América protestante terá então formado uma imagem da hierarquia
romana, e a inflição de penas civis aos dissidentes será o resultado
inevitável. ...
A imposição da guarda do domingo pelos protestantes é uma
obrigatoriedade do culto ao papado. ...
No próprio ato de impor um dever religioso por meio do poder
secular, formariam as igrejas mesmas uma imagem à besta; daí a
obrigatoriedade da guarda do domingo nos Estados Unidos equivaler
a impor a adoração à besta e à sua imagem.—O Grande Conflito,
445, 448-449.
Quando o protestantismo estender os braços através do abismo,
a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo,
quando por influência dessa tríplice aliança a América do Norte for
induzida a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que
fizeram dela um governo protestante e republicano, e adotar medidas
para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber
que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que
o fim está próximo.—Testemunhos Seletos 2:151.

Roma recuperará a supremacia perdida

Ao aproximar-nos da última crise, é de vital importância que
existam entre as instrumentalidades do Senhor harmonia e união. O
mundo está cheio de tempestade, guerra e contenda. Contudo, ao
mando de um chefe—o poder papal—o povo se unirá para opor-se
a Deus na pessoa de Suas testemunhas. Essa união é cimentada pelo
grande apóstata.— Testemunhos Seletos 3:171.
Leis impondo a observância do domingo como o sábado ocasionarão
uma apostasia nacional dos princípios do republicanismo
em que se baseia o governo. A religião do papado será aceita pelos
governantes, e será invalidada a lei de Deus.—Manuscript Releases
7:192.
É evidente que uma época de grandes trevas intelectuais tem
sido favorável ao êxito do papado. Ainda será demonstrado que uma
época de grande luz intelectual também é favorável ao seu êxito. —
Spirit of Prophecy 4:390.
No movimento ora em ação nos Estados Unidos a fim de conseguir
para as instituições e usos da igreja o apoio do Estado, os
protestantes estão a seguir as pegadas dos romanistas. Na verdade,
mais que isto, estão abrindo a porta para o papado a fim de adquirir
na América protestante a supremacia que perdeu no Velho Mundo.
— O Grande Conflito, 573.

Uma lei dominical nacional significa apostasia nacional

A fim de se fazerem populares e conquistarem a simpatia do
povo, os legisladores hão de ceder ao desejo deste, de obter leis
dominicais. ... Por um decreto que visará impor uma instituição papal
em contraposição à lei de Deus, a nação americana se divorciará por
completo dos princípios da justiça. ...
Como a aproximação dos exércitos romanos foi um sinal para os
discípulos da iminente destruição de Jerusalém, assim essa apostasia
será para nós um sinal de que o limite da paciência de Deus está
atingido.— Testemunhos Seletos 2:150-151.
Precisamos tomar a firme posição de que não reverenciaremos o
primeiro dia da semana como o sábado, pois ele não é o dia que foi
abençoado e santificado por Jeová, e reverenciando o domingo nós
nos colocaríamos ao lado do grande enganador. ...
Quando for invalidada a lei de Deus e a apostasia se tornar um pecado
nacional, o Senhor agirá em favor de Seu povo. — Mensagens
Escolhidas 3:388.
O povo dos Estados Unidos tem sido um povo favorecido, mas
quando eles restringirem a liberdade religiosa, renunciarem ao protestantismo
e apoiarem o papado, a medida de sua culpa estará cheia,
e nos livros do Céu será escrito: “apostasia nacional”.—The Review
and Herald, 2 de Maio de 1893.

A apostasia nacional será seguida de ruína nacional

Quando nossa nação [Estados Unidos], em suas assembléias
legislativas, promulgar leis que restrinjam a consciência das pessoas
quanto ao seus privilégios religiosos, impondo a observância do
domingo e exercendo poder opressor contra os que guardam o sábado
do sétimo dia, a lei de Deus será, para todos os efeitos, invalidada
em nosso país, e a apostasia nacional será seguida de ruína nacional.
— The S.D.A. Bible Commentary 7:977.
É ao tempo da apostasia nacional, quando, agindo segundo os
métodos de Satanás, os governantes da Terra se enfileirarem ao lado
do homem do pecado — é então que a medida da culpa se encherá;
a apostasia nacional é o sinal para a ruína da nação.—Mensagens
Escolhidas 2:373.
Princípios católicos romanos serão adotados sob o cuidado e
a proteção do Estado. Esta apostasia nacional será rapidamente
seguida pela ruína nacional.—The Review and Herald, 15 de Junho
de 1897.
Quando as igrejas protestantes se unirem com o poder secular
para amparar uma religião falsa, à qual se opuseram os seus antepassados,
sofrendo com isso a mais terrível perseguição, então o dia
de repouso papal será tornado obrigatório pela autoridade mancomunada
da Igreja e do Estado. Haverá uma apostasia nacional que
só terminará em ruína nacional.—Evangelismo, 234-235.
Quando o Estado usar seu poder para impor os decretos e amparar
as instituições da Igreja — então a América Protestante terá
formado uma imagem do papado e haverá uma apostasia nacional
que só terminará em ruína nacional. — The S.D.A. Bible Commentary
7:976.

Legislação dominical universal

A História se repetirá. A religião falsa será exaltada. O primeiro
dia da semana, um dia comum de trabalho que não possui santidade 
alguma, será estabelecido como o foi a estátua de Babilônia. A todas
as nações, línguas e povos se ordenará que venerem esse sábado
espúrio. ... O decreto impondo a veneração desse dia se estenderá a
todo o mundo.—The S.D.A. Bible Commentary 7:976.
Quando a América, o país da liberdade religiosa, se aliar com
o papado, a fim de dominar as consciências e impelir os homens a
reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do
mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo.—Testemunhos
Seletos 2:373.
A questão do sábado será o ponto controverso no grande final
conflito em que o mundo inteiro há de ser envolvido.—Testemunhos
Seletos 3:19.
As nações estrangeiras seguirão o exemplo dos Estados Unidos.
Posto que ela seja a líder, a mesma crise atingirá todo o nosso povo
em toda parte do mundo.— Testemunhos Seletos 3:46.
A substituição do verdadeiro pelo falso é o último ato do drama. 
Quando esta substituição se tornar universal, Deus Se revelará.
Quando as leis dos homens forem exaltadas acima das leis de Deus,
quando os poderes da Terra procurarem obrigar os homens a guardar
o primeiro dia da semana, sabei que chegou o tempo para Deus agir.
— The S.D.A. Bible Commentary 7:980.
A substituição da lei de Deus pelas dos homens, a exaltação,
por autoridade meramente humana, do domingo, posto em lugar
do sábado bíblico, é o derradeiro ato do drama. Quando essa substituição
se tornar universal, Deus Se revelará. Ele Se erguerá em
Sua majestade para sacudir terrivelmente a Terra.—Testemunhos
Seletos 3:142-143.

O mundo inteiro apoiará a legislação dominical

Os ímpios... declaravam que tinham a verdade, que havia milagres
entre eles; que anjos do Céu conversavam e andavam com eles,
que grande poder e sinais e maravilhas eram realizados em seu meio,
e que isso constituía o milênio temporal que aguardavam há tanto
tempo. Todo o mundo se convertera e estava em harmonia com a lei
dominical.— Mensagens Escolhidas 3:427-428.
O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas
do sétimo dia, porque eles não rendem homenagem ao
papado, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. —
Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 37.
Os que calcam aos pés a lei de Deus fazem leis humanas que
eles obrigarão as pessoas a aceitar. Homens imaginarão, deliberarão
e planejarão o que irão fazer. O mundo inteiro guarda o domingo,
dizem eles, e por que este povo, cujo número é tão pequeno, não
haveria de proceder de acordo com as leis do país?—Manuscrito
163.

O conflito concentra-se na cristandade

O chamado mundo cristão será o palco de grandes ações decisivas.
Homens com autoridade promulgarão leis para controlar
a consciência, segundo o exemplo do papado. Babilônia fará que
todas as nações bebam do vinho da ira de sua prostituição. Toda
nação será envolvida. João, o Revelador, declara o seguinte sobre
esse tempo: ... “Têm estes um só pensamento.” Apocalipse 18:3-7;
17:13-14. Haverá um laço de união universal, uma grande harmonia,
uma confederação de forças satânicas. “E oferecem à besta o poder
e a autoridade que possuem.” Assim é manifestado o mesmo poder
arbitrário e opressor contra a liberdade religiosa, contra a liberdade
de adorar a Deus de acordo com os ditames da consciência, que foi
manifestado pelo papado, quando no passado ele perseguiu os que
ousaram recusar conformar-se aos ritos e cerimônias religiosas dos
romanistas.—Mensagens Escolhidas 3:392.
Todo o mundo cristão estará envolvido no grande conflito entre
a fé e a incredulidade. — The Review and Herald, 7 de Fevereiro de
1893.
Toda a cristandade estará dividida em duas grandes classes —
os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus, e os que
adoram a besta e sua imagem, e recebem o seu sinal.—O Grande
Conflito, 450.
Como o sábado se tornou o ponto especial de controvérsia por
toda a cristandade, e as autoridades religiosas e seculares se combinaram
para impor a observância do domingo, a recusa persistente
de uma pequena minoria em ceder à exigência popular, fará com
que esta minoria seja objeto de execração universal. — O Grande
Conflito, 615. 
Quando o decreto promulgado pelos vários governantes da cristandade
contra os observadores dos mandamentos lhes retirar a
proteção do governo, abandonando-os aos que lhes desejam a destruição,
o povo de Deus fugirá das cidades e vilas e reunir-se-á
em grupos, habitando nos lugares mais desertos e solitários. — O
Grande Conflito, 626.

Não manifestar provocação

Os que compõem nossas igrejas têm traços de caráter que, se
não forem muito cuidadosos, os levarão a sentirem-se indignados,
porque, devido a falsas informações, é tirada sua liberdade de trabalhar
no domingo. Não vos encolerizeis por causa dessa questão,
mas levai tudo a Deus em oração. Só Ele pode refrear o poder dos
governantes. Não procedais irrefletidamente. Que ninguém se vanglorie
insensatamente de sua liberdade, usando-a por pretexto da
malícia, mas como servos de Deus, “tratai a todos com honra, amai
aos irmãos, temei a Deus, honrai ao rei”. 1 Pedro 2:17.
Este conselho deve ser de real valor para todos aqueles que forem
levados a situações difíceis. Não se deve manifestar coisa alguma
que denote provocação ou possa ser interpretado como maldade. —
Manuscript Releases 2:193-194.

Abster-se de trabalhar no domingo

Quanto ao campo relativo aos Estados do Sul, a obra nessa região
precisa ser efetuada o mais sensata e cuidadosamente possível, e da
maneira em que Cristo agiria. O povo logo descobrirá o que credes
a respeito do domingo e do sábado, pois eles farão perguntas. Então
podeis dizer-lhes isso, mas não de tal modo que atraia a atenção para
vosso trabalho. Não precisais abreviar vossa obra por trabalhar no
domingo. ...
Abster-se de trabalhar no domingo não é receber o sinal da besta.
... Nos lugares em que a oposição é tão forte que suscite perseguição,
se for efetuado algum trabalho no domingo, que nossos irmãos façam
desse dia uma ocasião para realizar genuíno trabalho missionário.—
The Southern Work, 69-70.
Se eles viessem até aqui e dissessem: “Deveis parar vosso trabalho
e vossos prelos no domingo”, eu não vos diria: ... “Mantende
os prelos em movimento”, pois o conflito não é entre vós e o vosso
Deus.— Manuscrito 163.
Não devemos achar que temos a obrigação de irritar nossos
vizinhos que veneram o domingo, fazendo decididos esforços para
expor intencionalmente diante deles o trabalho realizado nesse dia,
a fim de demonstrar independência. Nossas irmãs não precisam
escolher o domingo como o dia para mostrarem a lavagem de roupa.
— Mensagens Escolhidas 3:399.

Empenhar-se em atividades espirituais no domingo

Procurarei responder à vossa pergunta quanto ao que deveis fazer
no caso de serem decretadas leis dominicais.
A luz que me foi dada pelo Senhor numa ocasião em que esperávamos 
justamente essa crise que parece estar-se aproximando de
vós, foi que, quando o povo estivesse sendo, por um poder de baixo,
compelido à observância do domingo, os adventistas do sétimo dia
mostrassem prudência deixando seu trabalho ordinário nesse dia e
dedicando-se a atividades missionárias.
Desafiar as leis dominicais não fará senão fortalecer em suas
perseguições os fanáticos religiosos que as buscam impor. Não lhes
deis ocasião alguma de vos chamarem violadores da lei. ... Ninguém
receberá o sinal da besta pelo fato de mostrar que compreende a
sabedoria de manter a paz mediante a abstenção de trabalho que
constitua delito. ...
O domingo pode ser empregado para desenvolver vários ramos
de trabalho que muito farão em proveito do Senhor. Podem realizarse
nesse dia reuniões ao ar livre, ou em casas de família. Pode fazerse
trabalho de casa em casa. Os que escrevem, podem consagrar
esse dia para redigir seus artigos. Realizem-se cultos religiosos no
domingo, sempre que possível. Tornem-se essas reuniões vivamente
interessantes. Cantem-se verdadeiros hinos de reavivamento, e falese
com firmeza e poder do amor de Cristo. — Testemunhos Seletos
3:395-396.
Levai os estudantes para fora, a fim de realizarem reuniões em
lugares diferentes e efetuarem obra médico-missionária. Eles encontrarão
as pessoas em casa e terão excelente oportunidade para
apresentarem a verdade. Esta maneira de passar o domingo é sempre
agradável ao Senhor. — Testemunhos para a Igreja 9:238.

A beleza da verdade evidenciada pela oposição

O zelo dos que obedecem ao Senhor aumentará à medida que
o mundo e a Igreja se unirem para invalidar a lei. Toda objeção 
levantada contra os mandamentos de Deus abrirá o caminho para o
avanço da verdade e habilitará os seus defensores a apresentarem
seu valor perante os homens. Há uma beleza e poder na verdade que
nada poderá tornar tão evidente como a oposição e a perseguição.—
Manuscript Releases 13:71-72.
Este tempo, em que se faz tanto esforço para impor a observância
do domingo, é a verdadeira oportunidade para apresentar ao mundo
o autêntico sábado em contraste com o falso. O Senhor, em Sua
providência, está muito à frente de nós. Ele tem permitido que essa
questão do domingo seja realçada para que o sábado do quarto mandamento
possa ser apresentado perante as assembléias legislativas.
Assim os dirigentes da nação poderão ter a atenção despertada para
o testemunho da Palavra de Deus a favor do verdadeiro sábado.—
Manuscript Releases 2:197.

Antes obedecer a Deus do que aos homens

Os seguidores da verdade são agora compelidos a escolher entre
desrespeitar um claro preceito da Palavra de Deus, ou perder a liberdade.
Se renunciarmos à Palavra de Deus e aceitarmos costumes
e tradições humanos, talvez ainda nos seja permitido viver entre
os homens, comprar e vender, e ter os nossos direitos respeitados.
Se, porém, mantivermos a lealdade a Deus, isto se dará à custa de
nossos direitos entre os homens, pois os inimigos da lei de Deus
têm-se coligado para esmagar o juízo independente nas questões da
fé religiosa e do controle das consciências humanas. ...
O povo de Deus reconhecerá o governo humano como sistema
estabelecido por determinação divina e, por preceito e exemplo, ensinará
obediência a ele como dever sagrado enquanto sua autoridade
for exercida em sua legítima esfera de ação. Mas quando as suas
reivindicações estão em desacordo com as reivindicações de Deus,
devemos escolher obedecer antes a Deus do que aos homens. A
Palavra de Deus precisa ser reconhecida e obedecida como autoridade
acima de toda legislação humana. O “Assim diz o Senhor” não
deve ser posto de lado por um “Assim diz a Igreja ou o Estado”. A
coroa de Cristo deve ser erguida acima de todos os diademas dos
potentados terrestres. — The Home Missionary, 1 de Novembro de
1893.
Satanás oferece aos homens os reinos do mundo se lhe concederem
a supremacia. Muitos fazem isso e renunciam ao Céu. Antes
morrer do que pecar; é melhor passar necessidade do que defraudar;
melhor passar fome do que mentir. — Testemunhos para a Igreja
4:495.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livros de Ellen White em PDF - Download

Colossenses 2:13-14 - Explicação